Quem sou eu

Minha foto
Não, este post não é para você. Não, não... essas palavras não são indiretas, apesar de serem bem diretas. Não é para ele, ou para ela. Não. Eu não escrevo para um indivíduo em especial ou para personagens aleatórios, o trecho dessa música não foi pensando nele, entenda - Há alguém, mais do que qualquer outra pessoa, que me interessa ver minhas mensagens. Há uma única pessoa que eu desejo que veja o que eu escrevo, e lembre, e veja, e sinta, o que eu senti quando escrevi. Há alguém que eu quero que lembre de mim, e este alguém sou eu. Luciana Fonseca ;D

terça-feira, 20 de setembro de 2011

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

E quando se volta para buscar, ela nem está mais lá...


" Um amigo me chamou para ajudá-lo a cuidar da dor dele, Guardei a minha no bolso, e fui.. "


[ Caio F. ]


terça-feira, 13 de setembro de 2011

Da sua insegurança.



"Adquirira desde longos anos, por medo às desfeitas, o hábito de manter-se no seu lugar, de ficar no seu canto, tanto na vida como no trem, e esperar que lhe dessem bom-dia para estender a mão."




[ Marcel Proust in: Em busca do tempo perdido vol. 4 - Sodoma e Gomorra.Tradução de Mario Quintana. Ed. Globo, p. 232 - BLOG Luisa, vem cá, me dá a tua mão. ]

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Proporcionalmente.


" Um repertório de desculpas pode ir sempre mais longe do que uma verdade, quando ainda não se descobriu que querer enfrentar tudo-ao-mesmo-tempo-o-tempo-inteiro é quase a mesma coisa que não enfrentar. Minha coleção de argumentos para ir avolumava-se na mesma medida em que crescia a lista de motivos para ficar. Mil razões apontando para a porta, mil e uma para o sofá, e eu ali, deitado no colo da dúvida, exausto por ter que amadurecer tanto em tão pouco tempo."



[ BLOG Vem cá Luisa, me dá a tua mão - Luciana Lorens Braga in: Há cores e acordes. Ofício das Palavras, Ed., p. 28-29 ]